A China e o Mundo

16 fev 20

China transmite lições no combate ao coronavírus

Resultado de imagem para china coronavírus

O inesperado surto do novo coronavírus (Covid-19) na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, é o maior desafio enfrentado pelo governo de Xi Jinping no âmbito doméstico desde que assumiu a Presidência do país em 2013. Em meio a essa fatalidade, a China tem mostrado para o mundo não só a eficiência do seu modelo de governança, mas, também, um senso de responsabilidade à altura de sua grandeza econômica.

Contrastando com o modo como a China lidou com a epidemia da Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) no fim de 2002, o governo atual agiu rápido e foi transparente na batalha contra o coronavírus. A primeira ação deu-se no âmbito político.

As duas principais lideranças chinesas fizeram o que se espera de governantes sérios diante de uma situação dramática em seu país. De um lado, o primeiro-ministro Li Keqiang foi à cidade de Wuhan para visitar pacientes e médicos e tomar medidas urgentes; de outro, o presidente Xi Jinping reuniu-se, em Pequim, com o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, ciente da necessária cooperação multilateral. Ambos concordaram com o envio de especialistas internacionais à China para se unir aos colegas chineses e trabalhar na solução da crise e orientar os esforços de resposta global.

Tais atos discrepam dos países cujos governantes são insensíveis às catástrofes ocorridas em seu próprio território ou que desprezam as organizações internacionais.

O mundo parece reconhecer que o modelo de governança da China tem mostrado o seu valor para gerir uma situação de emergência em um país com quase 1,4 bilhão de pessoas.

21 dez 19

Brasil de Bolsonaro e relação com a China

A relação do Brasil sob a presidência do Bolsonaro com a China tem sido um tema presente desde o final de 2018 durante a eleição. O segundo semestre deste ano de 2019 foi decisivo para a relação bilateral em razão da visita do Bolsonaro à China e a do Xi Jinping ao Brasil no contexto da XI Cúpula do BRICS. Em entrevista para a Sputnik pude falar deste tema e, também, da guerra comercial dos EUA contra a China e seus impactos sobre o Brasil. A entrevista pode ser acessada clicando aqui.

 

18 nov 19

Longa entrevista para a CGTN sobre o BRICS (2019)

Compartilho com vocês a longa entrevista que dei para a CGTN (China Global Television Network) no programa Diálogo e que teve como tema a Cúpula do BRICS no Brasil. O programa foi gravado no mês passado em Beijing e está em português e em espanhol. Foi a mais completa exploração do tema que tive oportunidade de fazer na mídia para esta Cúpula. Clique aqui ou na imagem para acessar o vídeo. 

03 out 19

Sobre as manifestações em Hong Kong

Resultado de imagem para hong kong chinaAs manifestações em Hong Kong ganham o noticiário nas mídias ocidentais. Sobre este assunto há diversas visões e muitas delas enviesadas seja por desconhecimento do contexto histórico e atual, seja por estarem comprometidas com certas posições políticas. Tenho procurado expor meu ponto de vista visando esclarecer o que está em jogo a partir dos fatos. A EBC me entrevistou em agosto de 2019 e pude expor minha opinião. Esta entrevista ficou mais completa se comparada a minha participação no Fantástico da Rede Globo. A entrevista está disponível clicando aqui.

23 ago 19

Manifestações em Hong Kong

O Fantástico (Rede Globo) do dia 18 de agosto de 2019 veiculou matéria sobre as manifestações de Hong Kong e que contou com a minha participação como entrevistado. (Assista à matéria clicando aqui). A entrevista, feita em minha casa, demorou quase meia hora. Abordei diversos aspectos e lados da questão. Naturalmente, o tempo de exposição na TV é curto e as falas são inseridas no contexto da narrativa do editor. O tema é complexo e exige muita atenção para não sermos levados à conclusões orientadas por uma predisposição de julgar positivamente ou negativamente a China. No trato deste tema, é importante ter o conhecimento da Lei Básica de Hong Kong e, sobretudo, ter em conta o que estabelece o artigo 1 da Lei: “A Região Administrativa Especial de Hong Kong é uma parte inalienável da República Popular da China”. As manifestações em Hong Kong contrárias à aprovação do projeto de lei de ‘extradição’ devem ser resolvidas pela autoridade de Hong Kong. Mas, caso as manifestações redundem em demandas por independência, o governo central de Beijing poderá intervir com as forças armadas. Esta ação não seria descabida em razão do artigo 1 mencionado. 

Na sexta-feira, 23 de agosto de 2019, dei uma entrevista para a Xinhua News sobre o mesmo tema. Se publicarem a maior parte dos meus comentários, será uma matéria mais completa sobre como entendo esta questão de Hong Kong e espero compartilhar aqui no meu blog.

06 ago 19

O Cinturão e Rota na América Latina e o Brasil

 

No mês de abril passado pude participar, em Beijing, da inauguração do Belt and Road Studies Network(BRSN), um empreendimento do Instituto Xinhua e mais quinzethink tanks, que tem o objetivo de promover estudos e intercâmbios acadêmicos sobre a iniciativa Cinturão e Rota. O evento ocorreu uma semana antes do 2º Fórum do Cinturão e Rota para a Cooperação Internacionalque teve lugar também na capital chinesa e que reuniu 37 chefes de estado e de governo, além de diversas organizações internacionais. Foi, para mim, uma oportunidade para entender melhor o alcance e a importância da iniciativa, bem como a disposição do governo chinês de promovê-la de maneira aberta ao diálogo.

A expressão “Cinturão e Rota” é a forma abreviada do Cinturão Econômico da Rota da Seda e da Rota da Seda Marítima do Século 21. Ambas as iniciativas foram propostas por Xi Jinping durante a sua visita à Ásia Central e ao Sudeste Asiático, no fim de 2013, e visam criar um equivalente do século XXI da antiga Rota da Sedaque data de mais de 2000 anos atrás e que conectava, através de diversas rotas comerciais e trocas culturais, as principais civilizações da Ásia, Europa e África. Mas agora os tempos são outros e a evolução tecnológica pode fazer nascer uma nova rota global da seda.

29 abr 19

Light of Wisdom – Belt and Road

A Xinhua produziu um belíssimo documentário intitulado “Light of Wisdom – Belt and Road” que foi transmitido pela CCTV durante os dias do “2nd Belt and Road Forum for International Cooperation“, em abril deste ano. O documentário abordou o tema do Cinturão e Rota sob a perspectiva de 14 especialistas de várias partes do mundo. Fiquei muito honrado em ser um deles. Foi uma semana de gravação no Rio com a equipe de filmagem. Fizemos filmagem nos meus locais de trabalho, em Copacabana, no Jardim Botânico, na Vista Chinesa na floresta da Tijuca, na Praia do Flamengo e até em meu apartamento. Uma experiência muito gratificante. E as imagens que fizeram do Rio estão belíssimas, sobretudo aquelas com uso de drones. Espero que gostem. A minha parte tem início aos 29 minutos do episódio. Para assistir clique aqui (também disponível no YouTube clicando aqui) ou na imagem acima.

28 abr 19

40 anos de reforma e abertura

A revista China Hoje está no seu quarto ano de publicação e em todas as edições publico uma coluna abordando assuntos relacionados à China. Na edição 22 (janeiro/fevereiro) abordei os 40 anos da reforma e abertura da China que foram comemorados no ano de 2018. O texto integral pode ser acessado clicando aqui ou na foto acima que foi tirada quando visitei, no final do ano passado, a exposição em Guangzhou sobre a evolução da China de 1978 até os dias de hoje. Segurando a pá está a escultura (muito bem feita, por sinal) do Deng Xiaoping, o arquiteto da reforma e da abertura da China para o mundo.

Boa leitura!

28 abr 19

Palestra no YouTube: A Nova Era da China e o Sonho Chinês

No dia 26 de março de 2019 participei do ECOA PUC-Rio que teve como tema a CHINA! Parabéns à PUC pela iniciativa e foi um prazer participar do evento que tem um formato parecido com o TED. Eu tinha 15 minutos para falar sobre o tema que escolhi: “A Nova Era da China e o Sonho Chinês”.  Um pouco de China contemporânea, de filosofia chinesa, história, sociedade e cultura. No link vocês terão acesso a todas as palestras que foram feitas no dia. Vale a pena assistir a todas. Mas se quiser ir direto para a minha palestra, é só clicar aqui ou na imagem acima e ir direto para às 07h:04m:50s do vídeo.

Espero que gostem!

14 jan 19

Os 40 anos da China da reforma e abertura

Shenzhen – 40 anos da política de reforma e abertura na China.

Em 18 de dezembro do ano passado, a China celebrou os 40 anos da política de reforma e abertura iniciada em 1978. Depois da fundação da República Popular da China, em 1949, esta política é o evento mais importante que marca uma virada histórica nos rumos do país. Naquele ano de 1978, a economia chinesa estava em colapso após a controvertida Revolução Cultural (1966-1976). A morte de Mao Zedong, dois anos antes, mergulhara o Partido Comunista da China em um período de incertezas devido às disputas internas pelo poder e pela orientação política a ser dada para o futuro. Em meio a este contexto, a figura de destaque foi Deng Xiaoping. Após assumir a liderança do Partido, Deng defendeu uma política de reforma e abertura com o objetivo de modernizar o país. O plano de modernização se baseava, principalmente, na atração de investimentos estrangeiros. No âmbito da política externa, a China buscava equilibrar-se entre as duas superpotências da época, Estados Unidos e União Soviética, sem se alinhar a qualquer uma delas. O que prevalecia era o esforço concentrado na defesa do interesse nacional identificado com o crescimento econômico.

Deng Xiaoping sofreu resistências e enfrentou críticas dentro do Partido oriundas de pessoas que viam na sua política de reforma a abertura o risco de promover uma evolução pacífica do socialismo para o capitalismo. Entretanto, o que ali nascia era um modelo de desenvolvimento econômico peculiar que passou a ser conhecido como “socialismo com características chinesas”.