Arquivo

09 Jun 13

China, USA and the Soft Power

Blog_Yin_Yang[China.EUA]

Last week, the two most powerful men on planet met. Three months after his tenure, Xi Jinping went to the United States of America (USA) invited by Obama. It is a noteworthy fact. After all, their predecessors – Jiang Zemin and Hu Jintao – made their first trips to USA only a few years after having assumed the Chinese Government. Obama welcomed Xi in Sunnylands, California. The place was inviting and relaxing (http://sunnylands.org). A wide range of bilateral, regional and global affairs were on the table. Cyber Security, the Koreas, Iran, Syria, Middle East, Central Asia, economic and financial crisis, WTO trade disputes and the environment were possibly part of breakfasts, lunches and dinners’ menu. However, the main purpose was to establish a good personal relationship between them in order to allow discussions on ways of cooperation and management of the differences in a more effectively way for the next years. It is a valid effort.

China’s economic rise and its relationship with the USA have evoked several debates on world’s future. Many wonder if the two countries will enter into deliberate conflict or will be able to establish a relationship of peaceful cooperation. As mankind’s history is marked by war and peace, such a question has its relevance assured.

Looking for answers, analysts are leaning over data highlighting the power of these two Nations for this century. On one hand, the so-called hard power and, on the other, the soft power. Leia mais

02 Jun 13

EUA, China e o soft power

Blog_Yin_Yang[China.EUA]

Nesta semana, nos dias 6 e 7 de junho, os dois homens mais poderosos do planeta vão se encontrar. Após três meses de sua posse, Xi Jinping irá aos EUA a convite do Obama. Fato digno de nota. Afinal, os seus antecessores – Jiang Zemin e Hu Jintao – fizeram suas primeiras viagens aos EUA somente alguns anos após terem assumido o governo chinês. Obama recepcionará Xi em Sunnylands, na Califórnia. O lugar é convidativo e relaxante (http://sunnylands.org). Mas a ampla gama de assuntos bilaterais, regionais e globais perturbam o sono dos dois chefes de Estado. Cyber segurança, as Coreias, Irã, Síria, Oriente Médio, Ásia Central, crise econômica e financeira, conflitos comerciais na OMC e meio ambiente, devem compor o cardápio dos cafés, almoços e jantares. O objetivo principal, contudo, é estabelecer um bom relacionamento pessoal entre eles que permita discutir formas de cooperação e de gestão das diferenças de maneira mais eficaz para os próximos anos. O esforço é válido.

A ascensão econômica da China e sua relação com os EUA têm suscitado inúmeros debates sobre o futuro do mundo. Muitos se perguntam se os dois países entrarão em conflito deliberado ou se saberão estabelecer uma relação de cooperação pacífica. Dado que a história da humanidade é marcada por guerra e paz, fazer tal indagação tem a sua pertinência garantida.

Na busca de respostas, analistas se debruçam sobre dados que evidenciam o poder das duas nações para este século. De um lado, o chamado hard power e, de outro, o soft power. Leia mais